Glossario:

Arbitragem: operação que visa o lucro sobre a variação de preço de um mesmo ativo em mercados diferentes.

After Market: termo em inglês que indica o tempo extra em que os traders podem operar, mesmo após o fechamento do pregão regular.

Ações: ativo de renda variável que representa a menor parcela do capital social de uma empresa.

Alavancagem: termo usado para definir um investidor que opera com base em um crédito que lhe é concedido. Ou seja, o investidor assume uma dívida visando um maior rendimento.

ATR: Average True Range. É o indicador que calcula a média do tamanho dos candles. Esse indicador usa a média do tamanho de um determinado período (número de candles) para calcular o seu valor atual.

B3: é a bolsa de valores do Brasil, sediada em São Paulo. O nome se dá pelas referências às iniciais Brasil, Bolsa e Balcão.

Book de ofertas: o book de ofertas consiste no lugar onde estão listadas as ordens de compra e venda de ativos negociados na Bolsa de Valores.

Backtest: termo em inglês utilizado para definir o teste de um modelo estratégico aplicado a dados históricos de um ativo.

Breakeven ou (BE): É o ajuste do Stop Loss para um preço na região de ganho, garantindo assim algum lucro para a operação.

CVM: comissão de Valores Mobiliários, entidade autárquica vinculada ao Ministério da Fazenda, responsável por regular e fiscalizar o mercado financeiro.

Candle: elemento que compõe um gráfico do tipo candlestick, formado por um corpo e sombra superior e inferior.

Candlestick: o candlestick é uma representação gráfica formada por candles que indicam o movimento e a variação de preço dos ativos negociados em Bolsa.

Corretagem: custo operacional cobrado pela corretora por cada operação realizada na Bolsa de Valores.

Corretora: empresa responsável por intermediar a compra e venda de títulos na Bolsa de Valores.

Contrato futuro: é um tipo de contrato derivativo que consiste no compromisso de compra e venda de ativos financeiros em que o preço é acordado previamente entre as partes com o pagamento em uma data futura.

Cotação: termo utilizado no mercado para se referir ao preço de um determinado ativo negociado na bolsa.

Curva de capital: é uma representação do nível médio de evolução do patrimônio em uma operação.

Conta Real: dentro da plataforma existe a conta simulação e a conta real. Na conta real suas operações estão de fato sendo realizadas no mercado, toda ação tomada ali impactará de verdade no seu capital, diferente da conta simulação que usa dinheiro fictício. Day Trade: são operações de curto prazo no mercado financeiro, efetuando compra e venda do ativo no mesmo dia, lucrando com a oscilação em um curto período.

Derivativos: são aplicações que se utilizam de um ativo base como referência para definir seu preço. Seus valores oscilam de acordo com o comportamento financeiro de outros produtos e são sempre negociados com preços e prazos futuros.

Drawdown: drawdown é a diferença percentual entre um pico e o fundo mais próximo do preço de um ativo financeiro.

DrawDown Máximo: É o maior rebaixamento de capital apresentado em um período, contado do topo histórico até o fundo subsequente antes de voltar a subir.

Fator de Lucro: representa a relação entre o lucro e o prejuízo brutos de uma operação, ou seja, quanto você ganhou por cada perda.

Fator de recuperação: é a razão entre o lucro absoluto e o máximo rebaixamento. Quanto maior o fator de recuperação, mais rápido uma estratégia se recupera de um rebaixamento.

Forward test: é um método usado em finanças para determinar os parâmetros ideais para uma estratégia de negociação . A estratégia de negociação é otimizada com dados na amostra para uma janela de tempo em uma série de dados.

Forex: abreviação para Foreign Exchange Market, é um mercado financeiro descentralizado destinado a transações de câmbio, sendo o maior mercado do mundo.

Filtro: são critérios impostos em uma operação automatizada, que executa ou não uma ordem de entrada ou saída.

Gain: termo em inglês que significa ganho, no mercado utiliza-se para se referir ao lucro da operação.

Hedge: Sistema hedging. É um sistema disponibilizado pela corretora que cada operação tem seu próprio TP e SL e é possível abrir posições de compra e venda ao mesmo ativo, possibilitando os EAs trabalharem de forma simultâneas na mesma conta e ativo, sem o conflito entre as ordens compradas e vendidas se fecharem no mesmo momento.

Home Broker: plataforma oferecida pelas corretoras, que conecta os investidores ao pregão eletrônico da bolsa.

Índice: utilizado no mercado financeiro para expor o desempenho de um determinado grupo de ações.

Ibovespa: consiste no mais importante indicador de ações negociadas na bolsa, apresentando uma variação média de um grupo de ações que concentram o maior volume financeiro da bolsa. Indicadores: termo do mercado financeiro utilizado para se referir às informações relevantes sobre determinado ativo.

Liquidez: corresponde à rapidez ou facilidade em que um determinado ativo tem de ser convertido em dinheiro.

Leilão fechamento: acontece durante os 5 minutos que antecedem o fechamento do pregão para que seja definido o preço de fechamento.

Leilão pré-abertura: acontece nos 15 minutos que antecedem a abertura do pregão, para que seja definido o preço de abertura.

LS ou L&S: Long & Short. Operações estruturadas que envolvem dois ativos, um comprado e outro vendido.

Lucro bruto: diferença entre a receita obtida e o valor investido.

Lucro líquido: diferença entre a receita obtida e todos os demais valores gastos e investidos.

Loss: termo em inglês que significa "perda", portanto no mercado é utilizado para indicar o valor perdido em uma operação.

MA: Moving Average. Termo utilizado para médias móveis.

MagicNumber: É um número identificador de ordens e posições, é com base nesse número que os EAs conseguem trabalhar em conta Hedge de forma simultânea e independente por setup.

Mini-índice: são contratos futuros com vencimento bimestral, baseados nas oscilações do Ibovespa (Ibov). A cotação deste contrato é medida por pontos, que valem R$0,20 cada um.

Minicontrato: diferentemente dos contratos cheios, que precisam de um lote mínimo de 5 contratos para negociação e um alto montante investido, os minicontratos surgem para dar oportunidade para traders iniciantes, pois permite que eles negociem com apenas uma porcentagem do valor total do investimento e com uma margem de garantia menor.

Mini Dólar: no contrato de mini dólar, as operações são feitas pela compra de contratos futuros de dólar, possibilitando a negociação das expectativas da moeda no futuro. A cotação deste contrato é medida por pontos, que valem R$10,00 cada um, sendo negociado de meio em meio pontos (R$5,00).

Mercado à vista: mercado em que as operações de compra e venda de ações são negociadas a preços estabelecidos em pregão.

Mercado futuro: mercado em que as operações, abrangendo commodities ou ativos financeiros, são feitas para liquidação em datas futuras, com preços predeterminados, visando especulação ou se proteger das oscilações de preços.

Marketplace: modelo de negócio que consiste em uma espécie de shopping center virtual, reunindo vários produtos na mesma plataforma, no caso da Codetrading somos um Marketplace de estratégias automatizadas e produtos para automatização de estratégias personalizadas para Mercado Financeiro.

Ordem: uma ordem é um comando de compra ou de venda de um determinado ativo enviado à corretora.

Ordem a mercado: uma ordem enviada “a mercado” é um comando de compra ou venda de um ativo financeiro enviado à corretora na qual o preço de execução dependerá do preço corrente do mercado, o tipo de execução e o ativo.

Ordem limite: De Compra - Para ordens limite de compra a ordem será executada sempre que o preço de ask atingir um valor igual ou menor ao preço estipulado na ordem. Normalmente o preço estipulado é menor que o preço corrente do mercado.
De venda - Para ordens limite de venda a ordem será executada sempre que o preço de bid atingir um valor igual ou maior ao preço estipulado na ordem. Normalmente o preço estipulado é maior que o preço corrente do mercado.

Ordens Pendentes: são ordens cujas instruções de compra ou venda são pré-definidas, ou seja, dependem de alguns fatores para que sejam executadas. São popularmente chamadas de “Ordens na Pedra” e compõem o livro de ofertas.

Otimização: em matemática, o termo refere-se ao estudo de problemas em que se busca minimizar ou maximizar uma função através da escolha sistemática dos valores de variáveis reais ou inteiras dentro de um conjunto viável. A otimização dentro de uma operação automatizada consiste na realização automática de vários backtests com várias combinações diferentes de parâmetros pré-definidos pelo usuário.

OHLC: essa sigla indica os preços que formam um candlestick. Respectivamente o preço de abertura, de máxima, de mínima e de fechamento.

O - Open
H - High
L - Low
C - Close

Payroll: é o indicador que divulga a folha de pagamentos não-agrícolas dos Estados Unidos. Ou seja, ele divulga toda a força de trabalho empregada e que recebe salário no país, excluindo o setor primário. Este indicador revela um importante panorama da situação econômica do país. Tal evento influencia o mercado e, por isso, demanda atenção dos traders.

Pedra: termo usado dentro do mercado financeiro, significa que a ordem enviada está, de fato, na bolsa, aguardando sua execução.

Posição: uma posição é aberta sempre que o investidor realiza um negócio. Do período de abertura até o fechamento de uma posição, o ativo está em posse do investidor e isso o coloca exposto às oscilações do mercado. Uma posição é fechada ao realizar uma operação contrária em relação à posição atual (Compra/Venda).

Posição Comprada: quando a abertura da posição é feita com a compra de um ativo. Também pode ser chamada de ‘long position’. A posição comprada ganha com o aumento do valor de um ativo.

Posição Vendida: quando a abertura da posição é feita com a venda de um ativo. Também chamada de ‘short position’. Uma posição vendida ganha com a queda do valor de um ativo.

Pregão: termo utilizado para referir-se ao período em que ocorrem as negociações na bolsa de valores.

Price Action: price action é a análise do preço de um ativo com o decorrer do tempo. Muitas vezes é chamado de análise técnica clássica, pois é a base desta. Surgiu numa época cujo poder computacional era muito pequeno e caro, logo, o cálculo de indicadores técnicos não era algo simples.

Regras de entrada: são os critérios que o robô utiliza para abrir posições.

Regras de Saída: critérios usados para encerrar uma posição. Normalmente se baseia numa quantidade limite de ganho ou de perda.

Renda fixa: são investimentos em que o valor investido é emprestado ao emissor do título (bancos, empresas ou governo). As regras de remuneração são definidas previamente, dando maior solidez às aplicações.

Renda variável: são aplicações cujo lucro/prejuízo não podem ser dimensionados ou definidos previamente. Sua rentabilidade depende da oscilação dos ativos em questão.

Retorno: termo que expressa a quantia adquirida ou perdida em determinada operação.

Robô de investimento ou EA(Expert Advisors): ferramenta que realiza operações no mercado de forma automática, seguindo estratégias previamente definidas.

Risco: no mercado, tal expressão refere-se ao potencial resultado negativo de uma determinada operação.

Realizações Parciais ou (RPs): São as Ordens Limit usadas para redução da exposição financeira(Lotes) durante o período da operação.

Scalping: estratégia de compra e venda de ativos em um curto espaço de tempo, com o intuito de realizar lucros com essas oscilações do mercado em poucos minutos ou até mesmo segundos.

Slippage: termo em inglês que significa “derrapada”, utilizado no mercado financeiro para referir-se a situação na qual o investidor (ou trader) não consegue executar a sua operação no valor desejado.

Setup ou Set: Conjunto de configurações personalizadas formando uma estratégia operacional.

Stop loss ou (SL): ordem de venda programada para ser disparada automaticamente após o preço atingir determinado percentual de perda previamente definido pelo investidor.

Stop gain: ordem de venda programada para ser disparada automaticamente após o preço atingir determinado percentual de ganho previamente definido pelo investidor.

Swing Trade: modelo estratégico que visa o lucro com as oscilações do mercado em um determinado período de tempo. Geralmente as operações são abertas e fechadas após alguns dias ou semanas.

Sinal: gatilho para iniciar uma operação, responsável pela tomada de decisão.

Trader: o investidor que visa lucrar com as oscilações e volatilidade do mercado financeiro.

Taxa de acerto: durante o período de execução, toda operação que gera lucro é considerada um ganho. A taxa de acerto indica a relação número de ganhos por número de operações totais realizadas em porcentagem.

Take Profit ou (TP): ao atingir determinado lucro em uma operação, a ordem take profit tem por objetivo encerrar a operação garantindo o resultado pré estabelecido.

Tendência: é a direção dominante do preço de um ativo financeiro. Elas podem ser identificadas por linhas de tendência, price action ou indicadores de análise técnica.

Tick: referem-se às alterações parciais do preço de um ativo que acontecem à direita do ponto decimal.

Trailing Stop ou (TS): consiste em uma técnica de gerenciamento de riscos bastante utilizada pelos traders, sendo uma forma de stop móvel avançada, em que após o alcance dos parâmetros definidos, o posicionamento do stop loss é ajustado.

Volatilidade: consiste na intensidade da variação do preço de um ativo em um determinado período.

Volume: representa o fluxo de negociações de um determinado ativo.

ATENÇÃO: Nenhuma alteração deve ser realizada nos parâmetros do setup enquanto o mesmo estiver com operação aberta, isso poderá causar a perda de informações em memória e prejudicar a operação em andamento. Para realizar qualquer alteração você deve aguardar a posição do magic number estar completamente zerada, é recomendável ainda desligar o algotrading antes da alteração e voltar a ligar somente quando o setup estiver totalmente recarregado.
Este artigo foi útil?
Cancelar
Obrigado!